fbpx

Câmara realiza audiência para discutir a Regulamentação da Acupuntura

  • 11 2662-1713
  •  
  • 11 97504-9170

Câmara realiza audiência para discutir a Regulamentação da Acupuntura

 

Câmara realiza audiência para discutir a Regulamentação da Acupuntura

 

diretores-fac-ebramec-na-camara-dos-deputados Câmara realiza audiência para discutir a Regulamentação da Acupuntura

À direita o diretor administrativo, Rafael Vieira e ao lado o diretor da Faculdade EBRAMEC, Reginaldo Filho na audiência. Na cadeira de trás Carla Matsue ex-aluna da EBRAMEC e representante da Farmácia

No último dia 30 de Agosto de 2017 a Faculdade EBRAMEC esteve em Brasília, representada por nosso Diretor Geral Dr. Reginaldo Filho e nosso Diretor Administrativo Rafael Vieira, para participar da audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados em relação ao PL 1549/03. Esta audiência foi solicitada pelo Deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF) que também apresentou voto em separado, marcando um contraponto em relação ao voto do Deputado Hiran Gonçalves (PP-RR) que apresentou voto de que o PL seria inconstitucional. Val destaca que o Deputado Hiran é médico.

As maiores instituições do Brasil dedicadas e especializada no ensino da Medicina Chinesa estiveram presentes com representantes em Brasília como a Faculdade EBRAMEC, a Faculdade Incisa-Iman, a escola ABACO, a escola IPGU, a escola CEATA, além de alunos e professores de outras instituições. A quantidade de inscritos para participação na mesa foi tão grande que o Deputado Ronaldo estabeleceu duas mesas para os debates.

A lista oficial no site da Câmara indicava a participação dos seguintes palestrantes: Sohaku Raimundo César Bastos, Jean Luis de Souza, Carlos Ruas Filho, Ana Cecília Coelho Melo, Paulo César Varanda, Delvo Ferraz da Silva, José Alejandro Bullon Silva, Fernando Cláudio Genschow, Ahmed El Tassi, Hidelbrando Sábato, Wilen Heil e Silva, e Alexander da Silveira Assunção.

Houve destaque também com a presença do Deputado Celso Russomano, que é o autor do projeto, assim como do Deputado Giovani Cherini que encabeça a Frente Parlamentar das Práticas Integrativas. Durante as apresentações houveram posicionamentos diferentes entre aqueles que defendiam a Acupuntura profissional e de Nível Superior, sem restrição de classe, e a frente médica que defendia uma reserva de mercado e um corporativismo de classe.

Um dos pontos ressaltados durante a assembléia foi a fala de alto nível do Dr. Wilen Heil e Silva que é da Diretoria do COFFITO (Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional) e Coordenador do Conselho Nacional de Saúde. A luta continua e contamos com o apoio e participação de todos os profissionais dedicados à saúde da população por meio da Acupuntura e demais formas terapêuticas da Medicina Chinesa.

A posição da Faculdade EBRAMEC sempre foi de que a Acupuntura deva ser ensinada em Nível Superior. Dada a situação atual, as pós-graduações com formação específica em Acupuntura para os profissionais já graduados também está contemplada no Projeto de Lei. A própria OMS (Organização Mundial da Saúde) apresenta uma posição que se alinha com esta visão, além deste fato o comitê Intergovernamental da Unesco, órgão próprio da ONU dedicado às áreas da educação, ciência e cultura, incluiu a Acupuntura à lista do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

 

Fonte: Faculdade EBRAMEC