fbpx

TRATAMENTO DA NEURALGIA DO TRIGÊMEO ATRAVÉS DA ACUPUNTURA - FACULDADE EBRAMEC

  • 11 2662-1713
  •  
  • 11 97504-9170

TRATAMENTO DA NEURALGIA DO TRIGÊMEO ATRAVÉS DA ACUPUNTURA

Tratamento da Neuralgia do Trigêmeo através da Acupuntura - ESTUDO DE CASO

Monografia elaborada por MARIANA TIYO ITO

 

Head_deep_facial_trigeminal-274x300 TRATAMENTO DA NEURALGIA DO TRIGÊMEO ATRAVÉS DA ACUPUNTURA
Representação da Neuralgia do Trigêmeo

O objetivo deste trabalho é descrever o tratamento com acupuntura em uma paciente com NT realizado com sangria e ventosa em B17 (Geshu), baseada na Diferenciação de Síndromes (DS) na Medicina Chinesa. A importância deste relato é a difusão da possibilidade de uso da sangria, quando devidamente indicada, no rol de recursos a serem aplicados por um acupunturista, além de mostrá-la como uma alternativa válida de tratamento que pode promover mais benefícios terapêuticos do que complicações clínicas para os pacientes, desde que empregada adequadamente.

A neuralgia do trigêmeo (NT) é descrita como uma das formas de dor facial mais debilitantes, graves e insuportáveis, sendo que existem muitas formas de tratamento, inclusive no âmbito da Medicina chinesa (MC). A sangria com ventosa, quando usada apropriadamente, é um de seus recursos

 

APRESENTAÇÃO DO CASO


Paciente NAG, sexo feminino, 72 anos, brasileira, dona de casa, relata queixa de dor forte,
rápida, intermitente, em forma de “choque” no lado direito do rosto, em região de maxilar, arco zigomático, asa do nariz, sobrancelha e lateral da língua. A dor começou há 4 anos; não lembra de ter passado por mudança climática repentina, afirma que antes desse quadro álgico surgir, sentiu muita tristeza e decepção quando a filha casou, pois não aprovava o genro.
A dor piora quando passa por nervosismos ou preocupações, quando encosta a face direita no travesseiro, quando fala ou mastiga. Sente que no frio, ela é mais perceptível. Já chegou a tomar carbamazepina (receitada pelo neurologista), mas como não sentiu diferença e apresentava muita confusão mental, suspendeu por conta própria após 3 dias de uso.
Apresenta tosse seca, não sente sede durante o dia, sente a boca seca um pouco à noite. Fuma desde os 14 anos. Nega transpiração noturna e diurna. Quando está muito quente à noite, sente mais calor nos pés. Não sofre de insônia.
Não reclama de zumbido, mas apresenta perda auditiva em ambos ouvidos desde 1995, em consequência de um infarto do coração, motivo pelo qual foi submetida a uma operação de angioplastia. Às vezes assusta-se com facilidade.
Refere que a urina é clara, um pouco abundante se comparado com a quantidade de líquido ingerida. Não sente ardor ao urinar. Os últimos exames de densitometria óssea apontam osteopenia.
Não se queixa de memória fraca ou de dores na coluna ou nos joelhos.
Nega queimação em hipocôndrios, tremores nas mãos/pés ou câimbras. Eventualmente a vista fica seca, raramente fica escura; tem catarata nos dois olhos, somente em um olho fez correção cirúrgica. Não sente dor de cabeça ou tontura. Informa que as unhas são muito fracas. Entrou na menopausa há mais ou menos 20 anos, sendo que a menstruação era abundante.
O apetite é normal. Sente queimação no estômago se não tomar omeprazol, que é ingerido devido ao uso contínuo de medicamentos para diabetes e para arritmia. Refere que o intestino tende ser mais constipado.
A língua mostra-se levemente seca, vermelha-escura, com rachaduras pequenas e horizontais no centro, vasos sublinguais calibrosos e roxos, sem saburra. O pulso encontrado é superficial e
forte. Segundo a DS da MC, a paciente apresenta: estagnação de Qi e estase de Sangue (ES) e deficiências de Yin do Pulmão, do Fígado, do Coração e do Rim.
Ela começou o tratamento no ambulatório de acupuntura da Escola Brasileira de Medicina Chinesa em 23/09/2011, com frequência de duas vezes por semana. Na Escala Numérica Verbal (ENV), a qual varia de zero, que indica ausência de dor, até 10, que é a máxima e pior intensidade de dor, antes da acupuntura, a paciente apresentava a máxima dor (ENV = 10).
Nas primeiras 27 sessões, ela foi submetida ao agulhamento de pontos locais de dor (PLD), como E6 (Jiache), ID19 (Tinggong), VB2 (Tinghui), TA21 (Ermen), IG20 (Yingxiang) e pontos distais como IG4 (Hegu), E36 (Zusanli), E44 (Neiting), VB20 (Fengchi), VB34 (Yanglingquan), F3 (Taichong), BA10 (Xuehai) e Vaso Extraordinário Chong Mai. Também recebeu auriculoterapia (AT) nos seguintes pontos: Shenmen, Rim, Mandíbula, Face, Subcórtex, Boca, Articulação Temporomandibular, Vesícula Biliar, Língua, Bochecha. A dor após esse período estabilizou-se em ENV = 5, com alguns episódios de dor muito forte na língua e no rosto direito.

Como a dor em choque persistia em grau médio, com picos de maior intensidade, e tendo em vista que a paciente apresentava vasos sublinguais calibrosos, túrgidos e roxos, denotando
quadro importante de ES, começou a ser feita sangria em B17 (Geshu) com ventosa de fogo por aproximadamente 3 sessões seguidas, alternando-se com sessões em que este ponto era apenas dispersado. Além disso, foram agulhados os PLD anteriormente utilizados e feito tonificação em E36 (Zusanli), dispersão em IG4 (Hegu), dispersão em F3 (Taichong) e tonificação de BA6 (Sanyinjiao), a fim de circular e nutrir o sangue. Com esse procedimento, após 25 sessões, a dor diminuiu para EVN = 3, e paciente referiu melhora na qualidade de vida, pois conseguia falar, mastigar e dormir normalmente, sem sentir as fortes dores em pontada e choque.
Posteriormente, fez-se sangria em B17 (Geshu) por 10 sessões seguidas, com mesma base de agulhamento, alterando-se os PLD, conforme a queixa; eventualmente se utilizou também o Vaso Extraordinário Ren Mai – o Mar dos canais Yin, o qual rege todo Yin do corpo – e C7 (Shenmen), que fortalece o Yin do Coração . O nível de dor passou para EVN = 2, variando para 1 ou 3, conforme os movimentos da boca ou estado emocional. Embora a dor não tenha sido eliminada completamente, a paciente referiu que consegue agora conviver com ela e fazer suas rotinas diárias sem dificuldades.

RESULTADOS

Uma revisão sistemática sobre a acupuntura para NT, com base na literatura chinesa, europeia e latino-americana, enquadrou apenas 12 trabalhos controlados e andomizados, os quais utilizaram como tratamento somente o uso de agulhas ou eletroacupuntura (EA). Na maioria dos trabalhos, foram apenas selecionados os PLD na região afetada. Verificou-se que nesses estudos a eficácia da acupuntura foi similar ao emprego da carbamazepina pelo grupo controle (GC), com a vantagem de ocasionar poucos efeitos adversos. Entretanto, foi enfatizado que esses estudos apresentaram baixa qualidade metodológica, o que reduz a credibilidade dos resultados da acupuntura como tratamento eficaz para NT.
Em uma revisão de literatura chinesa sobre acupuntura para NT5, constatou-se que apenas 5
dos 26 artigos incluíram a DS para auxiliar na conduta terapêutica; os outros 21 trabalhos utilizaram acupuntura, EA e injeção de medicamento nos PLD, além do uso de AT e fitoterapia (FT) como coadjuvantes. Em todos os estudos, a taxa de efetividade relatada foi superior a 90%, embora as metodologias e o número de pacientes não tenham sido iguais para elaborar-se uma comparação fidedigna.
Pi et al6 apud Tian5 relataram uso de agulhamento nos PLD e em pontos de acordo com diagnóstico de invasão de Vento-Frio/Vento-Calor e estagnação de Qi e ES para tratar NT. No caso deste último, foram utilizados os pontos F3 (Taichong) e BA6 (Sanyinjiao). Nesse estudo, a taxa de efetividade foi de 95,5% para o grupo de tratamento (GT) – cujo agulhamento foi feito no lado contralateral ao rosto comprometido – contra 75% de efetividade para o GC (cujo agulhamento foi feito no mesmo lado do rosto comprometido).
Li7 apud Tian5 selecionou pontos de acupuntura e FT conforme a DS encontrada (invasão de Vento-Frio, invasão de Vento-Calor, invasão de Vento-Umidade, Fogo do Estômago, hiperatividade do Yang do Fígado e ES). Para a ES, foram dispersados sob forte estímulo os pontos B17 (Geshu), E36 (Zusanli) e BA6 (Sanyinjiao), mantendo-se a agulha por 30 minutos. A efetividade total do tratamento foi de 92,6%.
Foram encontrados 4 estudos na literatura que fizeram sangria para tratar a NT; dentre eles, há o de Zhang que realizou no GT a sangria em VG14 (Dazhui) e em B13 (Feishu) bilateralmente, seguida de ventosaterapia. Segundo o autor, a sangria nesses dois pontos promoveu uma terapêutica efetiva a longo prazo (93,33% de efetividade), se comparado com o GC (46,66%), que
recebeu apenas medicamento oral: tanto os sintomas quanto as causas da doença pela Medicina Chinesa (ventocalor, estagnação do canal por umidade-fleuma e ES) acabaram sendo abordados, já que a sangria neles (VG14 é o encontro de todos os canais Yang, utilizado para dispersão do vento e do calor; B13 controla as doenças da superfície do corpo), de um modo geral, remove calor, dispersa o vento,clareia os canais, ativa o sangue e remove a estase.
Já Han et al9 e Jiang et al10 utilizaram sangria nos PLD para tratar a NT. Não foi possível analisar maiores detalhes de seus trabalhos devido a não  isponibilidade dos artigos na íntegra.
Zhang, citado em outro artigo de revisão de literatura , também realizou sangria nos PLD, seguida de ventosa por 5 minutos, sendo este procedimento feito uma vez em dias alternados. Além disso, ele aplicou acupuntura diariamente nos pontos de acordo com o ramo do trigêmeo envolvido; a efetividade do tratamento foi de 83,3%.
O B17 (Geshu) é o ponto de influência do sangue, trata todas as suas doenças, como estase, calor e deficiência. Para os casos em que a ES é a causa da acne, Flaws e Sionneau12 recomendam agulhá-lo em dispersão e depois fazer-lhe sangria com ventosa, a fim de circular o sangue rapidamente e dispersar a ES.
Outra pesquisa que utilizou sangria nesse ponto foi uma dissertação de mestrado na qual além do B17 (Geshu), foi feita também sangria em B19 (Danshu), para o tratamento de acne13. Essa
combinação desses dois pontos é conhecida como Sihua (Quatro Flores). Uma das causas da acne, segundo a Medicina Chinesa, utilizada pelo autor como critério de inclusão em seu trabalho, é a ES e o acúmulo de fleuma. Uma vez que o B17 (Geshu) harmoniza o sangue e o B19 (Danshu) harmoniza o Qi, segundo o autor, a sangria em Sihua regula ambos, remove o calor e trata as estagnações.
Baseando-se nesses conceitos, a sangria em B17 (Geshu) foi feita no presente estudo para tratamento da NT da paciente, que apresentava sinais evidentes de ES. Embora não tenha cessado completamente sua dor, tal ação da técnica mostrou-se ser bastante benéfica e com melhor efeito para a paciente, se comparado com outros pontos utilizados previamente, como IG4 (Hegu) e BA10 (Xuehai).

CONCLUSÃO

O uso da sangria em B17 (Geshu), para os casos em que a DS aponta a presença de ES, pode ser uma alternativa relevante para o tratamento da NT, uma vez que os riscos ou efeitos adversos são mínimos se comparados com os que os medicamentos e as cirurgias podem provocar.
Entretanto são necessários mais estudos, com melhor qualidade metodológica e maior número de amostra, para comprovar a efetividade desta técnica no cuidado de pacientes com NT.

 

Este texto foi retirado de uma Monografia de uma aluna da Faculdade EBRAMEC, para utilizar desse material é necessário autorização prévia caso contrário está suscetível a consequências