fbpx

WFCMS lança o projeto de Padrão Internacional da Nomenclatura Básica da Medicina Chinesa para Português - FACULDADE EBRAMEC

  • 11 2662-1713
  •  
  • 11 97504-9170

WFCMS lança o projeto de Padrão Internacional da Nomenclatura Básica da Medicina Chinesa para Português

WFCMS lança o projeto de Padrão Internacional da Nomenclatura Básica da Medicina Chinesa para Português

A assinatura de contrato de cooperação e lançamento oficial do projeto foi realizado essa semana, tendo como líder o nosso diretor, o Dr. Reginaldo Filho

 

A FTE EBRAMEC disponibiliza o texto traduzido da matéria da WFCMS  e link original da reportagem em Chinês:

 

WFCMSterminologia básica chinesa e Portugal em relação aos padrões internacionais” segunda edição

reportagem-wfcms WFCMS lança o projeto de Padrão Internacional da Nomenclatura Básica da Medicina Chinesa para Português 

 

 

A Federação Mundial de Medicina Chinesa há alguns anos lançou o Padrão Internacional da Nomenclatura Básica da Medicina Chinesa, inicialmente apenas em inglês, mas hoje já há em outros idiomas, e agora já está na segunda edição deste trabalho, revisada. A atividade será desenvolvida também pela Escola Brasileira de Medicina Chinesa reportagem-wfcms WFCMS lança o projeto de Padrão Internacional da Nomenclatura Básica da Medicina Chinesa para Português  do Dr. Reginaldo (Reginaldo de Carvalho Silva Filho)

O propósito deste projeto é reunir  especialistas do Brasil, Portugal e regiões que falam a língua portuguesa para trabalhar em conjunto. O convite é estendido para especialistas da medicina chinesa de países e regiões de língua portuguesa no mundo para participar e completar da promoção da Medicina Chinesa .

Observando um panorama dos países de língua portuguesa,chega-se a alguns dados:  são mais de 223 milhões de habitantes em todo o mundo, suas culturas são semelhantes , possuindo histórias em comum. A área total do países membros da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) totaliza mais de 10.742 mil quilómetros quadrados. As suas perspectivas em relação a Medicina Chinesa são amplas.

A língua é o principal meio de troca de informações e com a padronização dos termos da Medicina Chinesa será possivel a estimular a própria Medicina Chinesa, além de permitir melhora no ensino e na pesquisa na área das disciplinas clínicas e de campo de estudo. O intercâmbio interindústria de informação se for feito adequadamente salvaguarda o bom andamento do negócio subjacente. A padronização é a base de informação, ela padroniza as terminologias da medicina tradicional. No campo da medicina é a base da informação que melhora a terminologia médica, capacita o processamento de informação baseada em padrões para conseguir informações médicas de alta qualidade em uma aquisição de alta velocidade, armazenamento, gestão e utilização .

A Federação Mundial de Medicina Chinesa tem sido comprometida desde 2003 em estabelecer um sistema padrão unificado para os cuidados da Medicina Chinesa. Alguns topicos são abordados como saúde, educação, intercâmbios acadêmicos e atividades comerciais em todo o mundo.  A padronização da Terminologia na Medicina Chinesa é a base para as várias atividades. Para que a Medicina chinesa possa alcançar todo o mundo, é necessário primeiro quebrar as barreiras linguísticas. Para este fim, desde o início do estabelecimento da WFCMS um dos objetivo foi o de ajustar a terminologia básica multilinguistica com uma série tradução das normas, o estudo foi um projeto chave. Após 10 anos de esforços, tem sido desenvolvido em Inglês, Francês, Espanhol, Italiano, Alemão, Russo, húngaro e outros tipos de padrões tradicionais de texto na terminologia de controle na tradução da Medicina Chinesa. Nesta série de normas, a Federação Mundial estipulou a  “medicina chinesa – Vocabulário – Parte 1 – medicina chinesa e ervas” um Projeto da ISO 18662-1 sendo desenvolvido na ISO / TC249, neste momento o projeto entrou noestágio final.   O líder do Projeto Dr. Reginaldo de Carvalho Silva Filho

· Fundador e Presidente da Faculdade de Tecnologia EBRAMEC – Escola Brasileira de Medicina Chinesa.
A EBRAMEC foi fundada em 2001 e hoje é a maior instituição voltada ao ensino, tratamento e pesquisa de Medicina Chinesa no Brasil. Está localizada em São Paulo, a maior cidade do Brasil, com mais 13 filiais em diferentes Polos Educacioanis pelo país, com o objetivo de difundir teorias e práticas de Acupuntura e Medicina Chinesa baseadas em nossa própria visão: “Tradição e Modernidade”

· Editor Chefe da Revista Brasileira de Medicina Chinesa.

· Membro do Comitê Executivo da Presidência da Federação Mundial das Sociedades de Medicina Chinesas (WFCMS)

· Professor Associado da WFCMS

· Professor Convidado na Universidade de Medicina Chinesa de ChengDu

· Professor convidado da Escola Superior de Medicina Tradicional Chinesa –  na Espanha

· Vice-Presidente do Comitê Especializado de Tratamento Externo da WFCMS Métodos e Tecnologias

· Vice-Presidente do Comitê Especializado de Cuidados Paliativos para o Câncer da WFCMS

· Autor e tradutor de cerca de 15 livros diferentes sobre Medicina Chinesa

· Candidato a doutorado na Universidade de Medicina Chinesa de Shandong sob a orientação do Prof. Gao Shu Zhong.

 

 

 O link da matéria: http://www.wfcms.org/department/mainCon.jsp?departid=298&titleid=299&id=7513

http://mp.weixin.qq.com/s?__biz=MzAwMTk5NDY2Nw==&mid=2247483828&idx=1&sn=d060cc88a082f5fcb36f99900fd71f18&chksm=9ad07b70ada7f26671a2943da74d8b2fb23aa376a77b1e642caf442eb383adc2cd95014090bb&mpshare=1&scene=1&srcid=1104e43NxanQzinufE6xZxli&from=singlemessage&isappinstalled=0#wechat_redirect

 

 

 

reportagem-wfcms WFCMS lança o projeto de Padrão Internacional da Nomenclatura Básica da Medicina Chinesa para Português

A esquerda Sr. Bao Wenhu, Diretor do Departamento Internacional de Padronização da WFCMS ao lado do nosso diretor Dr Reginaldo Filho com o documento oficial

 

reportagem-wfcms WFCMS lança o projeto de Padrão Internacional da Nomenclatura Básica da Medicina Chinesa para Português

Última negociação do acordo antes de fechar todos os detalhes em Agosto com presença do Diretor Acadêmico Eduardo Jofre e a Profª Ellen da Silva